quinta-feira, 29 de setembro de 2011

Julia Petit

     Pra quem não conhece Julia Petit ,terei o maior prazer de lhes apresentar . Julia Petit começou no mercado públicitario , como produtora musical. Quando começou com o seu blog ,dava muitas dicas de tutoriais de maquiagem e estilo , logo depois,entendeu que o melhor papel que lhe caia bem era o de "Fada Madrinha" da beleza e auto-estima. - " Quero que as pessoas se aceitem como são "- Afirma.
Julia é filha do publicitário Fracesc Petit da tradicional agência DPZ . Agora com 39 anos , Julia mal lembra como era sua vida sem revistas ou livros de arte e design . Sempre teve bastante influencia de seus pais , fator que lhe ajudou muito na gama frequente de informações do mundo do entreterimento  .Des de março Julia comanda no canal GNT O Base Aliada,programa que a consagrou : mostra truques de beleza fáceis de aplicar E diz que sua maior felicidade é  ouvir as respostas das "Petisquetes" ,como chama suas fãs .Adoro quando alguém fala que começou a se sentir mais bonita por causa do blog.


Como você descobriu que era boa com moda?

Quando comecei a escrever sobre o assunto.Em 2005 recebi o convite pra ter uma coluna na revista Contigo .Depois que o programa terminou , montei o blog.Selecionada tudo o que via em revistas,filmes,Internet e mostrava para as pessoas de uma forma simples .Moda é difícil de entender ,de caber e montar.Tem de explicar sem pretensão.Se chamei atenção, foi porque sempre procurei o diferente.Não sou do Rock nem das patricinhas , "Sou meu propio seguimento".-afirma.



Qual é a importância da beleza para você?

É muito importante conseguir parar de frente o espelho , se olhar,passar um creminho , ou se tocar c/ carinho.Falta essa consciência nas pessoas ,elas são muito tímidas.Tem de se perceber e dizer: O que fica bom pra melhorar  isso aqui?

Você teve algum problema para se aceitar?

Sempre fui cabeça fria e nos anos 80 as pessoas faziam de um tudo para serem esquisitas.Ninguém queria ser a Gisele e sim pintar a cara de branco e sair diferente   por ai.A gente se inspirava em filmes e musicas e não em revistas de moda .Meu cabelo era curto , estilo punk ,usava saia rodada do filme Grease .Era esquisofrênico e muito divertido.

Como aprendeu a se vestir bem?

Para estar bem, tem de se gostar.Precisa se olhar, descobrir proporções,achar a cor que lhe cai bem.
Sempre fui muito magra e sem peito .Tinha olhos grandes,usava óculos. meu pai dizia:"Não tenho filhas lindas , e sim interessantes!" Isso foi muito bom,pois me fez ir em busca de mim mesma.Hoje ,apesar da variedade de informação,as pessoas sofrem pressão para ser algo que não são.

Você acha que a vontade de seguir tendências acaba uniformizando as pessoas?

Sim,isso me aflige.Uma roupa dura só seis meses,o que é frustrante.Parece que você tem de ser uma pessoa nova a cada estação e, se não faz isso,não é ninguém . Tendência deixa a pessoas menos criativas e mais preguiçosas.Ter uma pecinha da estação é uma delicia,mas não dá para ficar na paranóia de precisar mudar sempre.Você tem de entender quem é , do que gosta e se impor.

O que gosta de vestir?

Adoro o vintage.Sugiro procurar peças guardadas que possam ser usadas.Pesquiso muito no e-Bay .Dá até para descobrir uma tendência pela quantidade de vezes que uma peça aparece ali.A rua também tem muita informação. Às vezes é até grosseiro quanto observo as pessoas.

Que mulher você admira no Brasil?

Gosto muito da Grazi Massafera porque ela entende que ia virar uma estrela e descobriu como se vestir .Tinha tudo para dar errado do ponto de vista de alguém que vive de moda: saiu do BBB,ex miss.Era para ser mais uma cafona e é uma graça.



E quais são seus ícones fashion?

Eu olho a Katherine Hepburn às malucas da Ashley e da Mary Kate Olsen. Essas duas fazem o que querem não estão nem ai para o que é tendência.Têm cara de assombração , mas são ótimas .A Hepburn era assim.Usava roupas masculinas de um jeito feminino. Não é que elas sejam ícones , mas vivem o mundo delas.

Para muitas mulheres você também é um ícone..

Não sou! Quem me encontra no shopping no sábado me vê de malha de lã,sapatilha, jeans, cabelo preso.Não sou montadérrima.Uso ugg,aquelas botas molenguinhas com pele dentro que são as mais feias da história do planeta, meu bem (Risos).

Que truque de beleza toda mulher deve saber?

É parecer que esta sempre de cara lavada,mas ter um monte de produto no rosto .(risos). Toda garota precisa de um bom corretivo , que tape tudo e ninguém perceba , ou uma base que corrija bem e seja invisível . E  um rímel , um blush e um hidratante labial.


Tem alguma peça que você não usaria?

A gente sempre acha novas maneiras de aplicar alguma coisa que  achava horrível .Exceto botas patas de-bode!Mas acho que todo mundo precisa ter um "look eterno" e isso é individual. Tem que olhar a roupa e se imaginar vestindo isso aos 70 anos.

Você é muito consumista?

Ando muito sufocada com o excesso de informação , e minha vontade de comprar diminui a cada dia. E tudo o que compro é vintage .O melhor jeito de ter identidade hoje em dia é consumir menos!

Como foi ser mãe aos 21 anos?

Foi ótimo,Não sei se teria um filho depois.Minha vida ficou corrida , mas pude me dedicar muito a Nina [Hoje com 18 anos ] , e temos uma ´p´roximidade incrível. Tenho medo dessa  "relação aberta" em que você não passa nenhum valor, nada verdadeiro . Não me firo por castigá-la. Muito mais que ser mãe dela, quero que ela saiba a pessoa que sou.

O que é o melhor e o pior de ser Julia Petit?

O melhor é fazer o que eu gosto. Não sei se tem parte ruim .Talvez seja parecer que faço algo superficial . Mas não ligo. O importante é conseguir mostrar que o espelho é o melhor amigo não só para saber se a calça caiu bem. Ele ajuda você a se entender. Acho que essa é a minha missão: multiplicar a gentileza!


Fontes: Revista GLOSS / SETEMBRO/2011.

Um comentário:

  1. Nossa amei a entrevista,amoooo a Julia,uma pessoa maravilhosa.

    ResponderExcluir